Vacina contra aftosa já começou. PR quer se tornar área livre sem vacinação
02/05/2018 - 9h04 em Cotidiano

 

Começa nesta terça-feira (1º), a primeira etapa da vacinação contra a febre aftosa. Esta etapa é para todos os animais com até 24 meses. O Paraná é uma zona livre, com vacinação, reconhecida pela Organização Mundial de Saúde Animal. Mas, existe um trabalho para o estado se tornar livre da doença, sem a vacina. Em todo o Paraná, de um plantel de pouco mais de 9 milhões de cabeças, 4,2 milhões têm até dois anos e devem, portanto, ser imunizados durante o mês de maio. Cada dose custa cerca de R$ 1,50. Bem menos do que os R$100 de multa por animal não vacinado.

Vacinação contra a febre aftosa
A coordenadora da divisão de Febre Aftosa (Difa) do Mapa, Eliana Lara Costa, explica que o produtor deve continuar a aplicar a vacina na região da tábua do pescoço, debaixo do couro do animal (região subcutânea), observando os cuidados das boas práticas de vacinação, fundamentais para o sucesso da imunização. “O Brasil está livre da febre aftosa, mas continua sendo obrigatório vacinar os bovinos e búfalos conforme o calendário de vacinação oficial de cada estado”, diz Eliana Costa.

Manejo cuidadoso
Para que o rebanho fique protegido contra a febre aftosa, os criadores devem ter os seguintes cuidados: 
– Comprar as vacinas somente em lojas registradas; 
– Verificar se as vacinas estão na temperatura correta: entre 2°C e 8°C; – Para transportá-las, usar uma caixa térmica, colocar três partes de gelo para uma de vacina e lacrar; 
– Manter a vacina no gelo até o momento da aplicação; 
– Escolher a hora mais fresca do dia e reunir o gado. Lembrar que só devem ser vacinados bovinos e búfalos; 
– Durante a vacinação, manter a seringa e as vacinas na caixa térmica e usar agulhas novas de preferência do tamanho 15mm por 18mm, limpas; 
– Lembrar que a higiene e a limpeza são fundamentais; 
– Agitar o frasco antes de usar e aplicar a dosagem certa em todos os animais: 5 ml; 
– Aplicar na tábua do pescoço, embaixo da pele, com calma; 
– Preencher a declaração de vacinação e entregá-la no serviço veterinário oficial do estado junto com a nota fiscal de compra das vacinas.

FONTE: VALEVERDEFM.COM.BR

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!
PUBLICIDADE
rádio terra fm