Paraná precisa vacinar quase 800 mil jovens adultos contra sarampo
19/11/2019 10:37 em Paraná

 

Mais de 11 milhões de doses da vacina tríplice viral estão sendo enviadas pelo Ministério da Saúde para atender demanda da 2ª etapa da Campanha de Vacinação contra o Sarampo. A vacina é a principal forma de prevenir a doença. Esta nova etapa da campanha foca os adultos jovens entre 20 a 29 anos, faixa etária que acumula o maior número de casos confirmados de sarampo, de acordo com o último boletim epidemiológico. São mais de 9 milhões de pessoas nesta faixa etária em todo o País que precisam tomar a vacina, quase 800 mil no Paraná.

No Paraná, entre os 368 casos de sarampo confirmados até a última semana, 195 estão na faixa de idade entre 20 e 29 anos. A primeira etapa de vacinação foi voltada para crianças de seis meses e cinco anos incompletos, que são mais vulneráveis às complicações do sarampo. A realização desta segunda etapa é de suma importância para interromper a cadeia de transmissão do sarampo para reduzir o risco da doença e imunizar não vacinados ou com esquema incompleto para o sarampo.

“Estamos verdadeiramente preocupados com a situação do sarampo. Precisamos que todos que estão em dúvida ou que não tomaram a vacina sejam vacinados, é a única maneira de prevenir o sarampo”, afirmou o secretário de Saúde, Beto Preto.

O sarampo é quase totalmente evitável com duas doses da vacina contra essa doença, que é segura e altamente eficaz. Altas taxas de cobertura vacinal — ou seja, 95% a nível nacional e dentro das comunidades — são necessárias para garantir que o sarampo não seja capaz de se espalhar.

Com o calor, febre amarela preocupa

Com a chegada do calor, a Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba reforça a recomendação da vacinação contra a febre amarela para quem tem a partir de 9 meses de idade. A vacina é oferecida gratuitamente em 110 unidades de saúde de Curitiba, de segunda à sexta-feira, em horário comercial.

A dose é única – quem já tomou uma vez na vida não precisa tomar uma segunda dose. Se a pessoa não tem certeza se já tomou, pode verificar se há registro na carteira vacinal fazendo um pré-cadastro no Aplicativo Saúde Já – disponível para smartphones e tablets com os sistemas operacionais Android e iOS – ou procurar a unidade de saúde mais próxima de casa.

Pessoas acima de 60 anos, gestantes e mães que estão amamentando bebês menores de 6 meses precisam passar por avaliação clínica para verificar a indicação ou contraindicação da vacina. Até o momento não há registro da circulação do vírus da febre amarela em Curitiba. Mas, no início deste ano, Curitiba registrou quatro casos importado.

FONTE: BEM PARANÁ

COMENTÁRIOS
PUBLICIDADE
rádio terra fm